São Miguel do Oeste
16/06/2017 09:43 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

Denúncia enviada ao MP questiona uso indevido de equipamento Segundo a denúncia que chegou até a reportagem do Jornal Gazeta, no ano passado a secretaria de Assistência Social de São Miguel do Oeste teria conseguido, por meio de um projeto junto à justiça Federal, o primeiro balanço para cadeirante para ser instalado na secretaria de Assistência Social, no entanto, o equipamento está na Casa Lar sendo utilizado por crianças que não necessitam desse tipo de balanço

São Miguel do Oeste
Balanço encontra-se na Casa Lar, em São Miguel do Oeste 
Uma denúncia enviada ao Ministério Público ainda no mês de abril aponta para várias irregularidades na Secretaria de Assistência Social do município de São Miguel do Oeste. Dentre os pontos destacados no documento, está a falta de acessibilidade no ambiente da secretaria, isso porque, segundo a denúncia que chegou até a reportagem do Jornal Gazeta, no ano passado teria sido conseguido, por meio de um projeto junto à justiça Federal, o primeiro balanço para cadeirante para ser instalado na secretaria de Assistência Social, o mesmo, acabou sendo retirado do espaço da secretaria, conforme a denúncia. 
Segundo o documento, o balanço teria sido retirado do espaço da secretaria e instalado na Casa Lar do município onde não haveria nenhuma criança portadora de deficiência para fazer uso. A reportagem do Jornal Gazeta, após receber a denúncia, procurou a secretária de Assistência Social, Marta Sotilli, que falou sobre o assunto. 
Segundo ela, o balanço foi retirado do espaço da secretaria para ser arrumado. “Faz 15 ou 20 dias que o pessoal que reformou me ligou e disseram que logo que instalaram o balanço deu problema, e isso foi ano passado. Eles falaram: ‘Olha muitas crianças em cima vai dar problema’, então optamos por evitar novo problema, colocar o balanço no abrigo, porque as crianças do abrigo também são da Assistência Social”, disse ela. 
Marta disse que como ninguém havia questionado sobre a troca de lugar do balanço ela não teria entendido isso como um problema. A reportagem perguntou se no ano passado, quando o balanço foi instalado na secretaria havia alguma criança que necessitava do equipamento e ela disse não poder responder sobre o contexto desse último período. “Não temos crianças com deficiência física no momento e sobre o ano passado não posso te responder mesmo que eu já estava na secretaria ano passado, não posso te responder, não sei para que fim veio esse balanço. Nesse momento não posso te responder. Como ninguém questionou não busquei essas informações porque não sabia que isso era um problema”. 
Ainda, conforme a denúncia, trata-se de um equipamento especial para proporcionar a inclusão social. O equipamento também é simbólico no município por ser o primeiro balanço para uso exclusivo de cadeirantes. Em contato com o Ministério Público, a reportagem foi informada que as denúncias devem ser encaminhadas para o Ministério Público para que sejam apuradas eventuais irregularidades no uso do equipamento. 

Galeria de fotos

Leia também...