São Miguel do Oeste
17/05/2017 10:44 (atualizado em 17/05/2017 10:47)

Polícia Federal deflagra operação “PIT STOP” De acordo com a Polícia Federal, os envolvidos estão sendo investigados por crime de descaminho, associação criminosa, sendo que um homem de São Miguel do Oeste, apontado como líder do esquema criminoso, também responderá por falsidade ideológica e ainda será investigado por suspeita de lavagem de dinheiro. Polícia estima que esquema criminoso movimentou aproximadamente R$ 2,1 milhões

São Miguel do Oeste

Durante a manhã agentes da Polícia Federal realizam diligências em um restaurante e uma casa de entretenimento em São Miguel do Oeste Foto: Portal GC

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 17, a Operação PIT STOP, para desarticular uma organização criminosa dedicada ao descaminho de bebidas estrangeiras, dirigida por uma pessoa que reside em São Miguel do Oeste. Durante a manhã agentes da Polícia Federal realizam diligências em um restaurante e uma casa de entretenimento no centro da cidade.

Segundo o Delegado da Polícia Federal, Sandro Bernardi, bebidas do Paraguai, Argentina e Uruguai, eram trazidas clandestinamente para o Brasil, com comercialização a partir de São Miguel do Oeste, onde foi montada uma empresa "fantasma" para emitir as notas fiscais falsas, utilizadas para acobertar o transporte das mercadorias. O principal destino das bebidas eram lojas no litoral de Santa Catarina, principalmente três que operam no Camelódromo de Balneário Camboriú/SC.

Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, nove mandados de condução coercitiva, quatro deles em São Miguel do Oeste, mandado de sequestro para cinco veículos e um mandado de sequestro para um estabelecimento comercial e seus bens, nas cidades de São Miguel do Oeste, Balneário Camboriú e Camboriú/SC, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal em São Miguel do Oeste.

Segundo Bernardi, entre os anos de 2013 e 2015, o esquema criminoso movimentou aproximadamente R$ 2,1 milhões. Conforme o delegado, a Polícia tem elementos para crer que os bens que estão sendo apreendidos, inclusive um estabelecimento comercial voltado ao entretenimento, foram adquiridos com o lucro do crime. Os envolvidos estão sendo investigados por crime de descaminho, associação criminosa, sendo que home apontado como líder do esquema criminoso também responderá por falsidade ideológica e ainda será investigado por suspeita de lavagem de dinheiro.

De acordo com o delegado Bernardi, as investigações iniciaram em 2014, após uma denúncia anônima e várias apreensões de bebidas realizadas em rodovias, as quais apontavam para a mesma pessoa. 

Galeria de fotos

Fonte: Polícia Federal/ Portal GC

Leia também...